segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

FALCÃO-DE-COLEIRA - Falco femoralis (Aplomado Falcon)

FALCÃO-DE-COLEIRA - Nome Científico: Falco femoralis - Nome em Inglês: Aplomado Falcon


Esta é uma ave da Ordem falconiforme da família Falconidae. Também conhecido como cauré, gavião-de-coleira e gavião-pombo. É um falcão campestre com ampla distribuição nas Américas, em ecossistemas abertos, os quais favorece. Sua área de distribuição histórica vai da Patagônia ao Texas - na qual só está ausente da Bacia Amazônica - havendo, no entanto, desaparecido do território dos EUA durante a década de 1950, fazendo-se atualmente esforços para a sua reintrodução neste país mediante a liberação na natureza de exemplares criados em cativeiro.

Medindo aproximados 36 cm, esta espécie possui asas longas e pontiagudas e desloca-se rapidamente, em linha reta, através de voo batido, embora aproveite também as correntes de ar quente para ascensão. Possui dorso cinza-escuro e largas faixas supra-oculares brancas ligando-se na nuca. Na asa aberta nota-se orla posterior nitidamente esbranquiçada, secundárias com larga ponta branca, o que é bem pronunciado em voo. Tem o hábito de pousar em árvores diante das queimadas, para assim localizar presas que estejam fugindo do fogo.



Sua alimentação é a base de pequenos animais e insetos capturando inclusive serpentes peçonhentas. Além destes animais, pesca pequenos peixes. Apesar de "peneirar", caça mais comumente próximo ao solo, apanhando suas presas tanto no ar quanto em terra. Gosta de frequentar áreas de queimadas em busca de animais fugindo do fogo. 

No período de nidificação a fêmea põe 2 ou 3 ovos, raramente 4, em um ninho de gravetos, construído pelo casal, no alto de uma árvore. Os ovos, brancos ou branco-avermelhados e manchados de pardo, normalmente vermelho-pardos, medem 40-48 x 31-36 mm. O casal incuba os ovos e cuida dos filhotes. Assim como outros falcões, costuma ser monogâmico e o casal passa boa parte do tempo unido. Possuem território reprodutivo fixo e costumam fazer o ninho no mesmo local ano após ano. 


Avistei esta ave a beira de uma estrada vicinal em Campo Grande, Mato Grosso do Sul na região conhecida como Aguão. Ele estava em uma arvore a beira da estrada, onde também se encontrava pousado um Gavião-Carrapateiro (Milvago chimachima).


"A Natureza é repleta de belezas que encantam as pessoas que nela prestam atenção!" 


©Geancarlo Merighi



Fontes das informações técnicas:

Sites:

http://pt.wikipedia.org (Acesso em  23/01/2013)
http://www.wikiaves.com.br (Acesso em  23/01/2013)
http://ambientes.ambientebrasil.com.br  (Acesso em  23/01/2013)


Nenhum comentário:

Postar um comentário