sexta-feira, 19 de outubro de 2012

ARARA-CANINDÉ - Ara ararauna (Blue-and-yellow Macaw)

ARARA-CANINDÉ - Nome em Inglês: Blue-and-yellow Macaw - Nome Científico: Ara ararauna


A arara-canindé é uma ave psittaciforme da família Psittacidae. Conhecida também como arara-de-barriga-amarela, canindé, arara-amarela e ara-arauna. É um dos psitacídeos mais espertos. É uma das mais conhecidas representantes do gênero Ara, sendo uma das espécies emblemáticas do cerrado brasileiro e importante para muitas comunidades indígenas. É muito apreciada como animal de estimação. Ocorre da América Central ao BrasilBolívia e Paraguai.

O período reprodutivo destas aves vai de dezembro e maio. As araras fazem seus ninho em  buracos no tronco de grandes palmeiras mortas, pondo 2 ovos, que são incubados por aproximadamente 26 dias.

Pesam cerca de 1,1 quilogramas e chegam a medir até noventa centímetros de comprimento, com partes superiores azuis e inferiores amarelas, alto da cabeça verde, fileiras de penas faciais negras sobre o rosto glabro e branco, olhos de íris amarela e garganta negra. Têm uma longa cauda triangular, asas largas, um bico escuro grande e forte e as típicas patas zigodáctilas dos psitacídeos, com dois pares de dedos opostos, o que lhes dá grande destreza para escalar árvores e manipular os alimentos. 

 

Migram em certas épocas do ano, em busca de alimento. Desloca-se a grandes distâncias durante o dia, entre os locais de descanso e de alimentação. Alimenta-se basicamente de sementes, frutas e nozes. Seu voo é muito bonito e sonoro pois ao voar, emitem seu grito típico que é um RRAAAAK gutural e áspero com entonação ascendente, mas podem produzir diversas outras vocalizações mais anasaladas e musicais. Quase sempre estão em dupla ou até em trio, entretanto, é comum também vê-las voando sozinhas.




A população de araras, em especial esta espécie, está crescendo muito nos grandes centros urbanos, onde ainda exista áreas verdes conservadas. Essa migração pode ser fruto da ação do homem no desmatamento. A atividade predatória do homem já fez com que em alguns locais fosse extinta, como em Trinidad e Tobagoou quase extinta, como em São PauloNa área do cerrado, atualmente o bioma mais ameaçado da América do Sul, onde outrora abundava, já é considerada em perigo.

Estas araras eram admiradas pelos povos indígenas pré-coloniais desde tempos remotos, participando de seus mitos. Os Tupi celebravam sua beleza em canções; uma etnia denominou-se Kanindé em lembrança a um cacique ancestral que assim se chamava por ser tão bonito - e tão barulhento - como estas araras; entre os Urueu-wau-wau e os Ticuna a arara-canindé é o nume tutelar de troncos familiares; entre os Craós o personagem mítico Khwök se transformou em arara-canindé e foi responsável pela formação de um dos "grandes perigos" que existem na mata, dois troncos de buriti que lançam chamas, e segundo uma lenda de origem desconhecida a arara-canindé foi uma das criações da Arara Encantada, um ser divino que ensinou às tribos as artes da música, da dança, da fala e todo o saber. Suas penas estão presentes em muitos artefatos rituais indígenas e as araras em geral estão associadas aos mitos solares e os ligados à criação do fogo.

Além de seu papel destacado na cultura, a arara-canindé tem uma grande função na teia de interrelações que sustenta a vida na natureza, pois seus hábitos alimentares provocam a dispersão de sementes de várias espécies vegetais e deixam frutos abertos e semi-consumidos, ou espalhados pelo chão, para outras espécies de aves e mamíferos que de outra forma não teriam como se aproveitar deles, seja por terem cascas excessivamente duras, seja por estarem fora do alcance. 


É bem comum vê-las voando por toda área urbana de Campo Grande, porém, com mais freqüência em locais perto das áreas verdes conservadas como o Parque do Prosa, Parque das Nações Indígenas dentre outras. Esta ave já inspirou alguns artistas e músicos regionais em suas obras.


Abaixo uma apresentação com fotografias das araras-Canindé que fiz em Campo Grande-MS com o fundo da música "Campo Grande", letra de Luiz Eduardo Balthazar e performance da "Banda Aruera", que retrata a Capital sul-mato-grossense de uma forma, a meu ver, sublime:



As imagens desta postagem foram feitas em Campo Grande-MS no Buritizal da Av. José Barbosa Rodrigues (Bairros Panamá e Popular), ao lado do Centro de Educação Ambiental Imbirussu (CEA-Imbirussu). Lá existe um pequeno ninhal destas araras, maracanãs-do-buriti e araras-híbridas (possivelmente fruto da cruza da Arara-Canindé com a Arara-Vermelha-Grande). 


"A Natureza é repleta de belezas que encantam as pessoas que nela prestam atenção!" 

©Geancarlo Merighi



Fontes das informações técnicas:
http://pt.wikipedia.org
http://www.wikiaves.com.br








Nenhum comentário:

Postar um comentário